terça-feira, junho 05, 2012

História do Mobiliário Barroco

Barroco


É a época das grandes cortes européias, acompanhada de grande luxo e da fabulosa Construção de versalhes.


A palavra Barroco significa uma pérola mal formada, isto porque a arte deste movimento é considerada impura.
O mundo que estava no Renascimento entrou em crises devido a golpes sofridos. Em 1518, Luthero foi excomungado pelo papa Leão X, iniciando uma série de conflitos de religiões. Nesses conflitos a Igreja perdeu fiéis e dinheiro, preocupada com a situação que já estava fora de seu controle, decidiu através do Concílio de Trento o seu futuro. Esse concílio realizou-se entre 1545 e 1563 (18 anos), toda essa movimentação da Igreja em relação à perda de fiéis é chamada de Contra-Reforma.
A principal mudança que a Igreja realizou para manter seus fiéis foi a mudança estética, assim a Igreja virou o principal mecenas e financiador das artes. O Concílio de Trento só foi um sucesso devido a essas modificações estéticas que aconteceram principalmente na arquitetura, além da pintura e escultura.
A modificação de maior destaque foi o movimento e o espetáculo. Porém, para conseguir um movimento na arquitetura, a Igreja precisou se modernizar, isto porque movimento significa sexualidade, que será transmitida através de espelhos, águas, fontes, escadas, curvas, côncavos e convexos. A maior preocupação dos arquitetos barrocos era dar o movimento para retratar o teatro, ou seja, alcançar o espetáculo na arte, a proporção era secundária. No Barroco tudo é emoção: a Mitologia que antes era considerada pagã é liberada pela Igreja e retrata a dor, o sangue, o drama, a intensidade.

Luis XIII
Henrique IV, pai de Luis XIII manteve a paz no reinado, entregando a Luis XIII seu sucessor, que não  tendo condições e energia entregou o Governo a Richelieu, que patrocinou o desenvolvimento artístico da França. Henrique IV, por acreditar  na decadência do mobiliária e  na necessidade e na importância para a história, buscou influências estrangeiras  para o mobiliários, que vieram com estrutura pesada e grande, com traços Flandres, Itália, Espanha e Alemanha.
Nos ambientes são comuns suntuosas tapeçarias de Flandres  e de Aubussom, sobre os quais pendem grandes espelhos procedentes da Ítália.
Nasce aqui a escolha de novas madeiras ao invés de carvalho, subistitui-se pela Nogueira ou por madeiras preciosas como èbano.

Palácio de Versalles


                                                      Jardim do Palácio de versalles





Biblioteca do palácio de Versalles, com uma característica forte da época o uso excessivo de ouro, do dourado. 


Quarto de Luiz XIV - Palácio de versalles, remetendo a  decoração ao sol. 

Galeria dos Espelhos do Palácio de Versalles , onde um espelho bem feito valia mais ou tanto quanto uma obra de arte. Aqui nesta galeria existe 350 espelhos. Numa parede de mais de 70 metros. 

Teto pintado por Charles Le Brun

                                       Sala de jantar de Luis XIV

Estilo Inglês Barroco

Mobiliário de Guilherme e Maria
O acabamento dos móveis do período de Guilherme e Maria eram freqüentemente  de cera e óleo acabado com o período Stuart. Esta técnica foi mais utilizada para móveis de nogueira clara. Grande parte do mobiliário marqueterie foi por uma aplicação de goma laca branca dissolvida em álcool. Esse curativo era aplicado com um pincel em camadas finas na superfície de madeira. Depois que o número de demãos de verniz necessárias haviam sido dadas, finalizava-se com um método feito por fricção com uma mistura de cera de abelha com  aguarrás. Isso tornou o acabamento em madeira Infelizmente sujeitos a ataques de insetos, que foram atraídos pela goma laca. Mas preferivelmente tratar o móvel com esse acabamento do que sem acabamento algum, pois estaria bem mais sujeito a pragas. Inicia-se a Idéia de “lar”. Salas menores e mobiliários mais simples. Trabalhos de tapeçaria bordada,linho estampado, seda, o veludo , o brocado e o damasco. Motivos decorativos de arco romano, flores, espigas, borboletas e algas marinhas.





Rainha Ana

Foi a ultima monarca dos Stuarts. O mobiliário é gracioso, formas curvas com entalhes delicados. O mogno é a madeira preferida, mas há também peças com pintura branca. Peças pequenas são uma inovação. Móveis sóbrios, elegantes e ponderados. Pés das cadeiras em formato de garra de águia segurando uma bola. Usa-se laca com fundo vermelho, verdes ou pretos.  Influência Oriental.



 Barroco Francês

No Barroco na França os móveis ganham muitos adornos, a palavra "barroco" vem do italiano e significa "pérola irregular", e a concha da ostra tem uma longa história como símbolo da beleza e sensualidade, no século 17 se espalhou o gosto por esse tipo de adorno pela Europa e suas colônias nas Américas e Índia, com peças ricas em arabescos e torneados.
O estilo Luís XIV foi predominante entre 1643 e 1715. As principais características deste estilo de mobiliário francês incluem uma mobília mais pesada, no entanto no fim deste período as peças foram ligeiramente reduzidas de tamanho se tornando ainda mais atraentes.




Os pés dos móveis passaram por algumas modificações neste meio tempo, primeira mente as pernas eram quadradas, A evolução foi para o estilo cabriolet, Depois tivemos uma espécie de cabriole modificado, O último dos quatro estilos de pernas seja talvez o melhor deles. As pernas são geralmente menores do que nos armários nas cadeiras com uma ligeira curva e trabalho flamengo parecidos com encontrados no estilo William and Mary. As traves do pés eram em forma de H em geral torneadas.



Outro aspecto importante do período barroco foi o crescimento de uma classe de profissionais super especializados: os ebanistas, que utilizavam a madeira do ébano nos móveis. O termo ebanista se tornou sinônimo de mobília de luxo, devido ao trabalho dos mestres artesãos desta época. André-Charles Boulle está entre esses ebanistas de grande renome, que confeccionou verdadeiras obras de arte no período. Boulle também foi o ebanista oficical da corte francesa, até o período seguinte, conhecido como Luís XV ou Rococó.




                                                                 André Charles Boulle




                      A biblioteca nesta época passa a receber vidros nos armários para proteger do pó.
                                           Lustre de Charles Boulle (1642 – 1732)

Lavabo


Serviço de Mesa de Charles Boulle




Nenhum comentário: